1. Economia e Gestão do Turismo. Para o apoio à tomada de decisão, as organizações e as empresas de gestão de destinos necessitam de adotar novos modelos de negócios e princípios de marketing. Esta linha de investigação – com proximidade às outras 5 linhas – baseia-se em 4 eixos principais: desenvolvimento e capitalização de sistemas de apoio à decisão de economia do turismo para políticas públicas e para planeamento de negócios; sistemas eficientes de contabilidade de gestão; contribuições do turismo para a economia circular; e instrumentos operacionais e de marketing estratégico para a competitividade empresarial e dos destinos.
  2. Turismo, Hospitalidade e Restauração. Tópicos a destacar na gestão hoteleira: a gestão de recursos humanos; os efeitos das novas tecnologias nas práticas de inovação e a sua relação com os recursos humanos. Tal como na gestão hoteleira, há dimensões específicas da gastronomia, das artes culinárias e da produção alimentar que precisam ser destacadas. É crucial entender e explorar os nichos nos setores da agroalimentação / food service / food industry que têm o potencial de gerar produtos e serviços novos e inovadores, sustentados numa perspetiva de segurança e saúde.
  3. e-Turismo. Inclui aplicações para gestão de negócios e de destinos turísticos. Questões mais especializadas são também bem-vindas, em muitos tópicos diferentes, como apoiar a gestão de risco, restaurantes locais (e-menu) ou alojamento local (e-booking). Hostels e outros tipos de alojamento estão agora espalhados por todo o país; a contribuição de novos tipos de economia, nomeadamente a economia colaborativa e as respetivas plataformas de TI que criaram uma nova forma de fazer negócios.
  4. Território e Destinos Turísticos. O turismo baseia-se na criação de destinos com atributos reconhecidos e apreciados por pessoas de fora da zona. Apesar deste tema de investigação ter relevância académica, a investigação neste domínio ainda é subdesenvolvida, no que diz respeito, particularmente, às políticas de turismo adotadas pelos governos locais e ao seu impacto no desenvolvimento do turismo local. Por outro lado, para o desenvolvimento de qualquer tipo de turismo existe a necessidade de transportes e de infraestruturas; é importante considerar essas relações e entender como os meios de transporte podem ser combinados para aumentar a procura de um destino.
  5. Planeamento e Gestão de Produtos Turísticos e da Animação. Os recursos turísticos são compreendidos e vividos de maneira muito personalizada. O seu âmbito é diverso e global, de diferentes tipos de interesses culturais à natureza. A prática das atividades de turismo de natureza e aventura merecerá uma atenção especial, não apenas por sua sensibilidade, mas porque a equipa do CiTUR tem tradição e reconhecimento nesses tópicos. O conceito de “animação” deve permitir a autenticidade da experiência e do mercado, entrando no conceito de gestão de lazer.
  6. Turismo, Cultura, Sociedade e Linguagem. O grande grupo das Ciências Sociais e Humanas é um dos mais antigos e mais importantes em termos de atenção e esforços para as questões do turismo. Inclui a dimensão cultural e histórica, a abordagem sociológica e antropológica do turismo e os “produtos turísticos” (por exemplo, cultura e religião, património, literatura, gastronomia e um vasto leque de “novas formas de turismo”). A ética e a responsabilidade social no turismo não são mais temas emergentes, pois ganharam o estatuto de serem considerados campos consolidados de investigação. As práticas linguísticas localmente vividas são uma das principais atrações do turismo e sua mobilidade.